GALERIA
FBAUL:
15.10 — 31.10

FABRICA
FEATURES:
12.10 — 02.11

PT

EN

"The images that mobilize conscience are always linked to a given historical situation. The more general they are, the less likely they are to be effective."

Susan Sontag


Com o programa da disciplina e as principais temáticas que aí se apresentaram, procurou-se definir um território conceptual que motivasse no aluno um adequado desenvolvimento projectual sobre um espaço contemporâneo de afirmação social e cultural. As leituras e reflexões propostas para o semestre permitiram um necessário entendimento crítico sobre as diferentes realidades sociais, políticas e culturais da segunda metade do século XX, consolidando-se assim uma abrangente percepção do "estado do mundo" a que pertencemos. A consciência histórica do mundo em que vivemos é, em grande parte, o produto da leitura dos "sinais do tempo". A palavra e a imagem e os seus infinitos poderes significantes constituem esses sinais, que, em conjunto com outros expressões gráficas, se afirmam como intrumentos narrativos.1 A palavra tipográfica, o instante capturado na fotografia, o tempo memorizado em frames de vídeo, enfim, a literatura, o cinema e todas as expressões artísticas constituem-se como "provas de contacto" com a realidade, que nos permitem situar espacial e temporalmente. Local e globalmente, social e culturalmente, individual e colectivamente. A partir de uma série de acontecimentos e cenários políticos, socio-culturais e artísticos ocorridos entre os anos 60 e 80 do século XX e tendo como referências uma série de temas/metáforas associados a este projecto Ultravox, propôs-se um projecto de comunicação visual que explorasse o papel do designer como editor e coordenador da pesquisa, selecção e apresentação de conteúdos. Face aos resultados das pesquisas efectuadas, projectou-se então uma publicação periódica (magazine multimédia) — com a publicação periódica Aspen, "The multimedia magazine-in-a-box" como exemplo pioneiro destes formatos multidimensionais,2 — que abordasse o tema seleccionado a partir de um conjunto de referências directas (imprensa, fotografia, documentos, etc.) ou contextuais e ficcionais (literatura, cinema, artes em geral, etc.) e permitisse assim, o desenvolvimento de um layout mais rico de soluções, conceptual e formalmente.

"Reality can be experienced as a "spectacle" of images, accessible every morning in the newspaper and at any time on a screen."

David Crow



Processo:
[1] Dossier de Pesquisa;
[2] Logotipo;
[3] Publicação;
[4] Ecrã: Registo Audiovisual.



1 "Images and graphics are necessary, but not as decoration. They are narrative tools.", Javier Errea (2010), "Visual language", Turning Pages, Berlim: Gestalten.

2 A revista multimédia Aspen, foi publicada por Phylis Johnson entre 1965 e 1971 nos Estados Unidos da América e cada número obedecia a um tema específico, que dava título e forma gráfica a uma caixa (entre outros tipos de embalagem) que encerrava uma série de materiais, desde cartazes, gravações áudio e video, postais, manifestos, etc.